UM MÉTODO DE EXPLORAÇÃO 
DO INCONSCIENTE!

O interesse pelo conhecimento da vida mental não é nada recente. Desde a medicina de Hipócrates na Grécia clássica do século IV a.C com seu tratado sobre as Teorias Humorais, diversos estudiosos tem se dedicado na compreensão da mente humana e com importantes descobertas, como por exemplo, Philippe Pinel - o pai da psiquiatria - e seu discípulo Esquirol que no século XVIII descobriram patologias mentais, até os avanços tecnológicos de estudos neurocientíficos da atualidade.

Mas o grande divisor de águas realmente aconteceu no século XIX quando um médico neurologista vienense chamado Sigmund Freud iniciou suas pesquisas sobre o estudo dos fenômenos histéricos. Surgia ali a revolucionária metapsicologia para o tratamento das neuroses chamada de Psicanálise, que se consolida tempos mais tarde com o nascimento da escola inglesa de Melanie Klein, W. Bion, entre outros. 

A psicanálise é tanto um corpo complexo e extenso de teorias e modelos sobre o funcionamento do aparelho mental, bem como um conjunto de técnicas de exploração psíquica alicerçadas na ética da verdade. Sua base clínica é a experiência emocional sem precisar recorrer à ontologias, causalidades e diagnósticos, pois epistemologicamente é distinta de outras psicoterapias como psicologia e psiquiatria, por exemplo.

O inconsciente é a a parte desconhecida de todos nós. Análise é um caminho que se abre para as fronteiras do discernimento de si pelas vias do inconsciente, tornando-se um espaço para pensar emoções, expandir e fortalecer a vida mental que diante de absoluta desorganização e fragilidade, resulta em angústia, sofrimento e dor psíquica. 

*Fotos: Sigmund Freud, Melanie Klein e Wilfred Bion

Se quem eu sou tem a ver com o que faço comigo e com os outros, então o que sei sobre
mim 
é o suficiente para compreender o que tenho feito comigo e com os outros até agora?