*Fotos: Sigmund Freud, Melanie Klein e Wilfred Bion

PSICANÁLISE: O QUE SABE SOBRE VOCÊ?

"Não somos apenas o que pensamos ser: somos mais! Somos também o que lembramos e aquilo de que nos esquecemos; somos as palavras que trocamos, os enganos que cometemos, os impulsos a que cedemos 'sem querer'... o que sabe sobre você?"

(Sigmund Freud)

O interesse pelo conhecimento da vida mental não é nada recente. Desde a medicina de Hipócrates na Grécia clássica do século IV a.C com o tratado sobre as Teorias Humorais, importantes descobertas foram sendo obtidas através dos estudos voltados para a compreensão da mente humana, passando por Philippe Pinel - pai da psiquiatria - com seu discípulo Esquirol, e que no século XVIII desvendaram  patologias mentais, até os avanços neurocientíficos da atualidade.

Mas um divisor de águas realmente ocorreu em meados do século XIX quando um médico neurologista vienense chamado Sigmund Freud se dedicou aos estudos de fenômenos histéricos. Surgia a revolucionária metapsicologia para a 'terapia das neuroses' chamada de Psicanálise.

Isenta de causalidades ou diagnósticos, muito comuns na psicologia e na psiquiatria por exemplo, e técnica, objetiva e epistemologicamente distinta destes modelos,  a psicanálise é um amplo campo de teorias do inconsciente (o desconhecido em você), a partir de estudos sobre o funcionamento psíquico, a cultura, as relações humanas e as inquietações do pensamento; mas ela é também um método de exploração deste inconsciente, cujo processo de análise é um espaço de possiblidades que podem expandir a nossa vida mental com base em novos significados emocionais e conhecimentos até então latentes, e que provavelmente nos ajudam a crescer, viver e ser de maneira mais autêntica, harmoniosa, equilibrada e plena. 

"Há um lugar místico em mim, algo assim bem escondido, um planeta inexplorado, um horizonte perdido...coragem para enfrentar frente a frente eu comigo, como se enfrenta um irmão no exército inimigo, coragem para encarar frente a frente eu no espelho..." (Viagem ao Fundo do Ego, Banda Egotrip)